Tag: Disney

Não sei vocês, mas eu sou loucamente apaixonada pela Disney desde de criança. Acho que a magia que envolve todos os desenhos, e a possibilidade de que aquilo pode ser real nos parques, me fascina e faz sonhar. Quando vi essa tag rolando no YouTube tive que gravar. Espero que gostem e dividam comigo as respostas das mesmas perguntas.

Perguntas:

1- Qual é o seu filme favorito da Disney?

2- Quem é o seu herói/protagonista favorito e porquê?

3- Quem é o seu vilão favorito e porquê?

4- Um filme da Disney que merecia mais destaque?

5- Uma cena de qualquer filme da Disney que você gostaria de experimentar.

6- Qual é a sua música favorita da Disney?

7- Que tipo de filme você prefere, animação 2D ou 3D?

8- Qual foi o seu primeiro filme da Disney?

9- Qual é a sua frase ou citação favorita da Disney?

10 – Algum filme da Disney já assustou você quando criança

Anúncios

Resenha: O Ladrão de Raios – Rick Riordan – Saga Percy Jackson e os Olimpianos

ladrao-de-raios

“Primeiro volume da saga Percy Jackson e os olimpianos, O ladrão de raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.

O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos – jovens heróis modernos – terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.”

Skoob

 

Me surpreendi com Percy Jackson, não estava com muitas expectativas sobre o livro por causa do filme, então enrolei muito para ler.

Percy é um Meio-Sangue, filho de um Deus Grego com uma mortal, que mora com a mãe em NY e seu padastro Gabe. Percy não sabe nada sobre sua origem até completar 12 anos e coisas muito estranhas começarem a acontecer.

Ele recebe uma missão do Olimpo para acabar com a briga entre Zeus e Poseidon, que podem começar a terceira guerra mundial, ele tem que achar o raio mestre de Zeus e devolve-lo, mas a missão é um pouco mais complicada do que parece, e ele descobre que o poder pode cegar até quem não imaginávamos.

Eu amo mitologia Grega, e para mim a história e muito bem escrita, muito coerente com o universo que ela trata, sem deixar de lado o encantamento. No meio da história começava a anotar os nomes dos Deuses e Deusas e lembrar sua função, o que foi bem divertido, e quando não sabia, ficava esperando para descobrir.

A história me lembrou em alguns momentos Harry Potter, mas são bem pequenos o que não considero como uma história praticamente igual. Recomendo para quem curte mitologia, ação e fantasia na medida certa.

Resenha: Legend – Marie Lu

legend

“Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República, June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos.” 

Skoob

Se eu fosse analisar o livros apenas pela capa, me julguem porque muitas vezes faço isso por ser visual demais, não leria Legend porque a capa não me atrai. Ai você deve estar se perguntando ” Por qual motivo você leu então?”, li por várias resenhas positivas e porque to viciada em distopias juvenis.

Legend conta a história de Day, ou Daniel, e June, que vivem em dois parâmetros diferentes da mesma sociedade: Day é do setor pobre, foi reprovado na prova de seleção do governo e é um tipo de Robbin Hood, June vem de uma família rica, gabaritou a prova do governo e tem tudo para ser um dos melhores soldados.

A vida de Day e June se cruzam quando o irmão de June é assassinado. Tudo levava ela a crer que o assassino era Day, e um sentimento de vingança nasce dentro dela, ela só não imaginava que seu “faro” de investigadora poderia estra errado, e tudo que ela acreditava poderia ser uma mentira total.

Como em outros livros distópicos, exemplo de Jogos Vorazes, eles lutam contra um governo tirano, mas que não demonstra tanto sua tirania, e tentam de todas as formas mudar o rumo que a sociedade está caminhando.

Na minha opinião este livro é muito mais parecido com Jogos Vorazes do que Divergente com o mesmo. É um livro recomendadíssimo tem ação, romance e uma história muito bonita. Já estou esperando ansiosa por Prodigy.

Bruna

 

Resenha: A Seleção – Kiera Cass

aseleção

 

“Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.

Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.

Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.”

Skoob

A Seleção foi uma grata surpresa, digo isso porque tenho um pouco de receio e livros que tem muitas avaliações positivas, por já ter me decepcionado com um em questão que estou relendo para fazer um vídeo.

A história é retratada nos EUA depois da 4 guerra mundial, onde foi trocado o nome do pais por Iléia e voltamos a monarquia e a divisão por castas, que vão de Um, que é a nobreza, á Oito que são os mais miseráveis.

A protagonista da história é América uma cinco, que a família toda é de artistas, onde ela é cantora e toca vários instrumentos. Ela e Aspen são “namorados”, mas como ele é Seis, o namorado não é aceito pelos pais dela, e totalmente escondido.

Quando o prícipe Maxon completa 20 anos, é feito uma seleção com 35 garotas para que ele escolha sua esposa, o que é uma tradição. America mesmo contrariada se inscreve, a pedido de Aspen, e mesmo não querendo acaba sendo escolhida.

Essa mudança de ares faz com que America comece a questionar seus sentimentos por Aspen quanto mais fica perto de Maxon.

O final me deixou bem animada para o próximo livro, que ainda não tem previsão de lançamento no Brasil, só espero que minhas apostas não estejam erradas. Quem quiser saber eu sou Team Maxon, já até imaginei como ele seria.

Bruna

 

Série: The Lying Game

The-Lying-Game-3-the-lying-game-tv-series-28068540-570-321

Não é de hoje que vários filmes são feitos baseados em livros, mas o que tem acontecido ultimamente é que além de filmes alguns livros estão se tornando séries de tv, na tv americana é claro.

Depois da adaptação da série de livros de Pretty Little Liars, a ABC resolveu apostar de novo nos livros de Sara Shepard e lançou a série The Lying Game no ano passado.

Como em PLL, The Lying Game tem um mistério central que envolve a trama e todos os seus personagens, quem seria a mãe das gêmeas Sutton e Emma.

No começo vemos que as mesmas não sabiam que eram irmãs, bem pequenas foram entregues para a adoção e nunca ficaram sabendo uma da outra. Sutton foi adotada por uma familia rica, e Emma ficou pulando de casa em casa, sempre sendo expulsa.

Quando descobrem elas decidem trocar de lugar, para que Sutton vá atrás da mãe delas e acabe logo com a farsa, mas Emma é diferente demais de Sutton, e aí começam os problemas das duas para segurar a farsa.

TLG_series_covers_featured_image

Nos EUA tem 6 livros já publicados dessa série, não vi ainda nenhum anuncio de editoras que irão traze-los para o Brasil. As capas quando juntas, uma ao lado da outra, forma um quadro com a foto das garotas, e eu amei isso.

Na internet é possível ver traduções livres disponíveis para quem não quer esperar e descobrir mais a fundo o segredo das gêmeas.

Bruna

Resenha: Belo Desastre – Jamie McGuire

Belo Desastre

“Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.”

Skoob

Vai ser clichê, se tratando deste livro, mais é verdade, ele é simplesmente viciante. Tão viciante que comecei a  lê-lo ontem (04/03) por volta das 15:00 e o terminei de devora-lo ás 22:30 do dia 05/03.

Eu não parava de pensar no livro, no Travis Maddox, em como Abby poderia ser tão cega.

O livro é envolvente, muito bem escrito, intrigante, divertido, enlouquecedor  enfim, ele não é bem falado por sorte, ele é bem falado porque é perfeito.

Quem nunca pensou em conquistar o cara mais popular da escola, e não apenas isso, mas “doma-lo”?

Travis é o bad-boy sensível ao mesmo tempo que é engraçado e durão, um homem que pode ser facilmente real. Abby eu vejo como a “nerd”, que muitas vezes se esconde por trás de cardigãs e roupas certinhas com medo de “viver”, no sentido de se jogar sem se preocupar com os outros.

Este livro foi um misto de emoção em mais de 24 horas, ele me fez rir, me fez chorar, me fez refletir. Muitos dos parágrafos eu me imaginava, uma hora como Abby, em outras como América sua amiga. Consegui ver em Travis um durão com o mundo, mas um inseguro apaixonado, com medo de acordar de um sonho bom.

Estou mal de ter acabado a leitura, me arrisco a dizer, espero que esteja errada, que vai ser dificil um livro me envolver tanto esse ano. Se não tivesse uma fila enorme de espera, leria ele de novo.

Nem preciso dizer que recomendo demais, para qualquer um, e rezo para alguma produtor fazer um filme sobre este livro, quero ver se o Travis da minha imaginação, um Adam Levine mais musculoso, se concretiza.

Ah já ia me esquecendo, este livro tem uma continuação, na verdade será a história vista pelos olhos do Travis, e eu já virei fã enlouquecida de Jamie McGuire.

Bruna