Leituras Julho

Graças a Deus consegui postar esse vídeo no YouTube e já posso dividir com vocês minhas impressões das leituras de Julho.

Agora que descobri como deixar o vídeo mais leve, para que o upload seja mais rápido, acho que vai ter mais resenhas em vídeos.

Links das resenhas:
A Terra das Sombras: http://wp.me/p2YOR6-3N
Métrica:http://wp.me/p2YOR6-3W
O Arcano Nove:http://wp.me/p2YOR6-43
A Reunião:http://wp.me/p2YOR6-4u

Espero que gostem,

Bruna

Anúncios

Projeto Segunda Chance

Resolvi criar esse projeto com dois objetivos: o primeiro ler, novamente, livros que eu não acabei mas que deixei para lá, ou no caso de um prometi que nunca mais tentaria ler, e em segundo para ver se aquilo que pensei sobre eles se confirma ou se eu não estava mesmo no momento de lê-los. Vamos aos participantes da primeira rodada, já deixando bem claro que vou fazer o máximo para tentar ler esse mês e não necessariamente será nessa ordem.

DIVERGENTE_1343154852P“Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.”

O Que houve: Eu comecei a ler Divergente logo que acabei Jogos Vorazes, empolgada com algumas pessoas super elogiando o livro e dizendo que lembrava JV. Bom eu não consegui passar da parte que ela escolhe sua facção. A Tris me mostrou ser um personagem, até aquele momento, rebelde sem causa e chata demais, tanto que entrou no meu top 5 de personagens que odeio, e até aquele momento não tinha nehuma explicação de porque Chicago tinha se divido nas facções, e foi me deixando irritada.

Porque a segunda chance: Primeiramente porque me falaram que existe a explicação da divisão, o que eu estava achando que só iria vir no segundo livro, segundo eu quero ter um opinião concreta acerca do livro todo não só de uma parte, e terceiro e último porque ainda ouço muitos elogios e acho que pode ser que eu não estava no clima.

mm“Em uma cidadezinha, a 100 quilômetros de Detroit, há uma loja antiga com mais de 78 anos que se tornou um ícone em roupas para casamento e vestidos de noiva. Por ali já passaram mais de cem mil moças: noivas, mães e madrinhas. Seus vestidos vão além de roupas elegantes para mais uma cerimônia: eles representam, no imaginário das noivas e de seus pais, a garantia de uma noite de princesa, um símbolo do “felizes para sempre”. Para estas moças, este lugar é, certamente, uma linha divisória: de um lado está a fé no amor e no romance e, do outro, a ingenuidade e o medo. Da substância desses sentimentos contraditórios, Jeffrey Zaslow selecionou histórias que às vezes nos fazem rir, às vezes nos partem o coração, mas que oferecem um panorama do que é o casamento e do que as famílias ensinam às suas filhas sobre amor e compromisso.”

O que houve: Prólogo gigantesco, fiquei com sono só de lembrar. E eu odeio não ler o prólogo, porque muitas vezes é ali que o autor começa a explicar a história e os motivos que levaram os personagens aonde estão.

Porque a segunda chance: A capa é linda, a sinopse faz parecer que a história é de emocionar, principalmente a frase ” Uma história sobre amor que desejamos a nossas filhas”, me tocou fundo no coração, mas o prólogo técnico demais me cansou, e desta vez vou ler sem o prólogo.

star“Na Inglaterra da era Vitoriana, está a vila solitária que tira seu nome de uma imponente barreira de pedra que rodeia a fértil terra. A calma de muro é interrompida a cada nove anos, quando o mortal e o mágico se encontram numa feira única.”

O que houve: Comecei a ler primeiramente por causa do autor, muita gente fala bem de Neil Gaiman, e depois porque eu amo esse filme e fiquei interessada e ter uma visão mais completa da história. Mas o livro me cansou, fica num vai e vem de personagens que eu me perco e nem sei de qual personagem ele fala no momento.

Porque a segunda chance: Mesmo com essa confusão, a história é boa da para perceber,mas tenho quase certeza que vou ler esse livro sozinho, num lugar bem quieto e com minha agenda do lado, para poder anotar tudo.

Esse foi o Projeto Segunda Chance, o post ficou enorme, mas queria me explicar em detalhes.

Beijos,

Bruna

Resenha: A hora mais sombria – A Mediadora – Meg Cabot

A Mediadora - A Hora Mais Sombria (2) ” Neste volume da coleção, Suzannah esta de ferias e começa à trabalhar como babá em um hotel chique, pois seu padrasto lhe dá duas alternativas: trabalhar, ou receber aulas particulares.Lá, ela conhece Jack, um mediador e Paul,seu irmão, um garoto muito estranho que logo se apaixona por Suze. Porém não é correspondido.Suzannah tem que trabalhar e fugir das cantadas de Paul.Numa noite, Suzannah é acordada por um fantasma de uma mulher, a ex-noiva Maria de Silva do seu namorado Jesse, e ainda exige que a construção de uma piscina nos fundos da casa de Suzannah seja interrompida imediatamente e isso faz Suze pensar em o que esta escondido lá.Será o corpo de Jesse? Suzannah em nenhum momento descarta essa possibilidade. Mais se for isso mesmo? E se solucionarem o seu assassinato e Jesse finalmente passar para o outro lado? Como será que isso vai terminar? Para nossa querida mediadora, problemas e aventuras é o que não falta.E sera que Jack fara as escolhas certas? O amor entre Suzannah e Jesse ira aguentar a todas as coisa que acontecerão?”

 

Eu só ia postar as resenhas referentes ao que já li em Agosto após o vídeo de leituras do mês de Julho e a resenha do “O Cavalo e seu menino”, mas a internet de casa, vulgo speedy, não está colaborando muito e tá demorando para fazer o upload.

Cheguei ao 4 livro da série, e diferente de outras que já li o livro não é repetitivo e não perde a essência de te prender do primeiro ao último parágrafo.

Minhas preces e desejos foram atendidos e nesse livro a história de Jesse é praticamente o que move, mas não somente isso mas a chegada de outro mediador e de um tipo específico que deixa qualquer leitor atordoado e sem entender nada, eu ficava me perguntando: como assim? isso é brincadeira né Srta. Meg? só para vocês terem noção como esse livro me deixou atordoada.

Suze entrou de férias e acha que vai ser igual na época de NY, sombra e água fresca, mas seu padastro não pensa assim, e ela tem que arranjar um emprego, o que ela consegue como babá em um resort 5 estrelas de Carmel, onde ela começa a cuidar de Jack um garoto bem introvertido, que eu imaginei no começo ser mimado demais.

Depois de um acontecimento no jardim do hotel Suze descobre o motivo desta personalidade de Jack, ele também é um mediador, mas como ninguém acreditava nele, os pais já tinham o levado a vários psicólogos, ele acabou desenvolvendo um bloqueio social. Quem já leu algum livro da série sabe que os métodos de Suze não são muito bem vistos, imagina ela como tutora de um novo mediador?

Andy começa uma reforma no jardim, aparentemente inocente, mas que desperta a ira de Maria de Silva e seu esposo Felix Diego, e toda a história de Jesse vem  á tona, e acaba levando até pessoas inocentes para o outro lado e tem um final de tirar o fôlego e um gancho espetacular para o próximo livro.

Nesse livro Meg Cabot conseguiu se superar ainda mais, a parte final foi de me deixar sem fôlego, é inimaginável, é de enlouquecer. Achei esse livro sem tantas tiradas, o que nos outros livros tem muitas, de Suze, acho que foi o correto porque o foco principal é Jesse toda a história que cerca a morte dele, e graças a Deus neste livro o que estava esperando acontecer no anterior acontece, e é mágico.

Ainda tem pontos na história de Jesse que eu senti falta da explicação, estou esperando que eles ainda sejam respondidos visto que tem mais 2 livros para ler e eu tenho minhas teorias, mas espero ser surpreendida.

Esse livro, ou melhor a série toda, eu recomendo demais, é aquele tipo de livro que te prende, que te faz pensar em teorias malucas da mesma forma que te faz rir da personagem principal , que tem um dom de se meter em encrencas que não dá para imaginar.

Bruna

Resenha: A Reunião – A Mediadora – Meg Cabot

 

images

“Suzannah é uma adolescente como outra qualquer. Bem, quase…Ela tem um pequeno segredo: é uma mediadora. Fala com fantasmas e os ajuda a descansar em paz. Um dom um tanto incomum para ser divido com os colegas, irmãos e até mesmo com a mãe. Mas de uma pessoa Suzannah não conseguirá esconder seu segredo. Gina, sua melhor amiga de Nova York, está na cidade passando uns dias com ela. Durante sua estada, quatro adolescentes morrem num acidente de carro. E Suzannah se vê obrigada a abrir mão de seus dias tranquilos com a amiga para ajudar as almas penadas.”

 

 

Eu estou tentando me controlar, mas essa série é tão boa que estou devorando os livros, eles não duram 2 dias.

A Reunião é o terceiro livro da série e o que eu achei mais misterioso. Tudo começa quando em um acidente de carro 4 jovens morrem, mas não são jovens comuns, são as “estrelas” da escola rival a de Suze, a íntima, e um aluno de sua turma está envolvido.

Além disso sua melhor amiga de NY Gina está passando férias de verão na sua casa e mexendo com a cabeça dos seus 2 meios-irmãos mais velhos. Gina é o oposto de Suze, ela é popular e descolada por si só, chama a atenção por onde passa, isso não incomoda Suze, até seus irmãos se apaixonarem, e brigarem, por ela.

O caso de mediação tratado nesse livro envolve acontecimentos bem tristes, mas não justificam o “final” que foi dado para os Anjos da RLS. Eu não suspeitei do autor, ele é aquele personagem que você tem certeza que seria incapaz de algo tão horrível, por mais que seu motivo fosse muito grande. Os Anjos não são tão anjos assim, eles tinham defeitos sérios, mas isso não justifica o que aconteceu com eles.

Suze, pelo 2 livro consecutivo, passa por apuros bem grandes que poderiam leva-la para o outro lado, o que não acontece, mas abrem espaço para um final interessante, que dá um grande gancho para o próximo volume.

Nem preciso dizer que recomendo demais essa série, acho que deu para notar o quanto ela é envolvente e muito bem escrita, os finais sempre deixam aquela ânsia pelos próximos acontecimentos.

Espero que gostem e comentem,

Bruna

Resenha: O Arcano Nove – A Mediadora – Meg Cabot

Imagem

“Para uma adolescente, trocar de cidade pode ser um trauma. Para Suzannah, a mudança de Nova York para Califórnia está sendo ótima: novos amigos, muitas festas e dois caras bonitões e muito interessantes. Só que um deles é um fantasma. E o outro pode matá-la. Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de se comunicar com os mortos e resolver as pendências deles na Terra. A velha casa para onde se mudou com a mãe e o padrasto é assombrada por Jesse, um fantasma jovem e gentil. Como Jesse não liga muito para ela (e, além do mais, está morto), Suzannah se entusiasma com o interesse de Tad Beaumont, o garoto mais cobiçado da cidade. Mas o fantasma de uma mulher, cujo assassinato pode ter relação com um mistério no passado de Tad, a atormenta. E a vida de Suzannah pode estar ameaçada. Ser adolescente é complicado. O que dizer de uma garota que precisa dividir sua atenção entre a própria vida e a morte dos outros? “

Acho que é pouco dizer que a série ” A Mediadora” é viciante, porque para mim foi além disso.

Como expliquei na resenha do primeiro livro da série, eu já tinha tentado ler Meg Cabot em “Diário de uma princesa”, mas não tinha gostado, agora tenho certeza que foi pelo tema não pela escrita da autora.

Estou tentando trocar de série, mas é impossivel eu só fico pensando e Suze e Jesse, quando vou descobrir o segredo dele, por ele é claro, e como a autora vai desenrolar esse “romance” impossível.

Em “O Arcano Nove” reencontramos Suzannah 2 semanas depois do ocorrido com Heather, eu achava que a passagem de tempo seria maior, mas depois entendi que é melhor a passagem mais curta entre os livros, e é claro que tem alguém querendo a ajuda de Suzannah, uma mulher que implora para que ela dê um recado para alguém chamado Red.

Como a própria personagem diz, os fantasmas não são muitas vezes detalhistas, e isso a coloca em uma grande confusão. Tudo começa quando ela vai atrás de alguém chamado Red, e acha um multi-milionário, muito estranho por sinal, e acha que foi a missão mais fácil dela, mas ela acaba remexendo em assuntos além do seu dom, e descobre que as vezes a respostas certa está ao lado, é só querer enxergar.

Pela primeira vez vimos também o pai dela, muito rápido, mas dá uma pista dos acontecimentos, que até aquele ponto, terríveis que estão por vir se ela não o escutar, e claro que ela acha que e bobeira. Neste livro também Suze descobre um novo dom, que a ajuda bastante nos momentos finais.

Serei redundante, mas a escrita da autora é envolvente demais, a história é bem feita, bem amarrada, que é difícil largar sem saber o final, e o humor sarcástico de Suze me faz rir sozinha, e deixa a história muita mais interessante. Esse livro só não dei 5 estrelas no Skoob, porque não entendi sobre “O Arcano Nove”, e foi o único defeito do livro.

Espero que gostem,

Bruna