Resenha: Garoto encontra Garoto – David Levithan

Nesta mais que uma comédia romântica, Paul estuda em uma escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile é uma quarterback drag-queen, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola… E, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah!

O livro conta a história de Paul, um garoto gay que mora em uma cidade onde os habitantes aceitam muito bem a homossexualidade, pena ser uma cidade fictícia.

Um dia em um “passeio” á livraria, ele encontra com Noah, e sente algo diferente por ele logo de cara. Mas Paul tem um ex-namorado, que após acontecimentos ruins fica confuso com seus sentimentos,e acaba colocando em risco um relacionamento entre Paul e Noah.

Além dessa trama principal, temos histórias secundárias muito boas, como a do Tony,um amigo de Paul que a família não aceita sua opção sexual, e a história de Infinite Darlene a primeira quarteback transexual que eu já vi.

Os personagens e seus conflitos são tão palpáveis, tão reais que não tem como não se identificar, principalmente se você tem amigos(as) homossexuais.As tiradas engraçadas, principalmente vindo de Infinite Darlene dão uma leveza no enredo, e te prendem mais a leitura.

David conseguiu me conquistar ainda mais com esse livro, a escrita dele, a forma como ele aborda esse tema que para uma parte da sociedade é um tabu muito grande, é de tirar o chapéu literalmente.

Não é apenas uma historia de romance homossexual, é uma história de aceitar as escolhas do outro, de aceitar as pessoas como elas são, e entender que todos tem direito ao seu ” final feliz”.

O Segredo de Ella e Micha – Jessica Sorensen

e5759cbfd953db5955898ff912c5c0abdf1eb757

“Este livro que você vai ler agora arrancou suspiros de uma legião de leitores americanos, entusiasmados com a escrita provocante de Jéssica Sorensen. O segredo de Ella e Micha trata do romance entre dois jovens, mas não é só isso. Os protagonistas vão tecendo, em primeira pessoa, uma trama complexa e ao mesmo tempo simples, que envolve temas delicados como dramas familiares, traumas psicológicos, medo do futuro e da morte, com naturalidade e sinceridade. Eis o que torna o livro tão comovente: sua realidade. Em qualquer lugar do mundo, cada jovem têm um pouco destes dois heróis paradoxalmente frágeis com seus traumas, mas fortes para enfrentar a dura realidade da existência e superar seus conflitos mais difíceis. Respire fundo, prepare-se para acompanhar uma história de amor com pitadas generosas de sensualidade e adrenalina. “

Como começar a explicar todos os sentimentos que senti ao ler esse livro?
Eu enrolei para lê-lo, passava outros na sua frente, ensaiava um começo, mas só o li mesmo quando as leituras que comecei não estavam mais me agradando, e isso acontece muito.
Quando resolvi ler esse livro foi totalmente no escuro, sem ler resenhas, sinopse, gênero, absolutamente nada. Então você se pergunta porque eu me interessei por ele? Simples a capa e os nomes dos personagens, estranho mas verdadeiro.
No começo, lembrando que não li nada sobre ele antes, achei que Micha e Ella fossem amigas de infância e que guardavam segredos a cerca de seus relacionamentos amorosos, o que o Prólogo me fez ver que não.
O que me deixou mais feliz em ler esse livro foi como a autora, muito bem por sinal, tece a personalidade de seus protagonistas.
Ella no começo parece uma menina abalada pelos acontecimentos recentes, o que é bastante aceitável em sua condição, mas com o passar do capítulos vemos que na verdade ela é muito mais complexa do que parece.
Micha não foge a regra, de cara gente fina, ele mostra que tem conflitos também por trás de tudo, e como Ella precisa trabalhar nos mesmos para se libertar.
Confesso que chorei em algumas partes, principalmente quando Grady e o pai de Ella apareciam.
É um New Adult um pouco mais leve dos que estou acostumada a ler, mas mesmo assim impredível e com o toque certo de romantismo, sem ser meloso demais.
Esperando ansiosamente pelos próximos livros da série, e torcendo para que a autora continue a me envolver.

Abaixo você encontra um vídeo com a minha reação pós leitura.